segunda-feira, outubro 29, 2007

TROPA DA ELITE



Ingênuos que lêem Foucault

Heróis que empalam garotos

Toda ajuda é hipócrita

Tortura é a solução

Morte à alteridade

Aplausos histéricos à autoridade

Dos caminhos o mais curto,

o mais fácil.

Fácil?

Desde que não atrapalhe o trânsito

e que não manche de sangue

os nossos sapatos, calçadas e filhos.

E desde que não perturbe nossas refeições.

Não nos embrulhe os estômagos

com a desagradável visão desses

pretos,

pobres,

sujos e maus

garotos estraçalhados.


Quem somos nós?


Pretensa elite que goza o mundo

e que cheia de medo

assina cheques, contratos e penas.

Elite que, cheia de dentes, berra:

Paz!

Justiça!

Honra!

Basta!

Basta de tiros em nossos quintais,

de mendigos em nossas calçadas,

de malabaristas em nossas esquinas.

Paz

no asfalto

na escola

no shopping.

Paz, no morro, engatilhada

Cano ainda quente

sujo de saliva e medo.


Pobreza pacificada,

silenciada até o próximo carnaval.


Salve a liberdade burguesa,

a invisibilidade do outro,

os gritos que não descem o morro!

Um viva aos novos heróis da pátria

com seus uniformes negros!

Carrascos com carteiras assinadas.

Durmamos em paz

e deixemos pra eles a honrada missão

da manutenção desse nosso gozo infindável...

6 comentários:

Larissa Marques disse...

Sempre admirei sua poética social, nesse não poderia ser diferente. Sim, começam o filme com uma frase de Foucault, mas ao meu ver há muito mais que tráfico de drogas por trás dessas congruências sociais. As pessoas riram, quando viram o comandante do BOPE empaular o "miserável" (no simio mais íntimo do significado). Alienados, não notam que somos empaulados todos os dias, da mesma forma, obrigados a aceitar o que nos impõe, o que nos oprime. Achei magnífico seu escrito.

Thorpo disse...

Obrigado, Larissa!

Anônimo disse...

por isso que te amo!
C.

Linhas de fuga disse...

Fiquei a fim de musicar... topas?

W

Breno Leite disse...

LINDO POEMA. O LIXO DA BURGUESIA CARIOCA ELOGIA UM FILME ESCROTO QUE RETRATA O REFORÇO DA VIOLÊNCIA AOS MAIS FRACOS. abraços.Breno

Linhas de fuga disse...

Vou trabalhar nela...

isso é uma das coisas mais fodas que eu li ultimamente. Tu é fera!